Sobre CNMP

Quem Somos

O Centro Nordestino de Medicina Popular (CNMP) nasceu em 1988 como uma organização não governamental brasileira, sem fins lucrativos, constituída por mulheres e homens, com diversas capacidades profissionais e identidades culturais. Trabalhamos por uma sociedade de inclusão, paz, justiça e liberdade, que garanta o direito a uma vida digna, saudável e plena para toda a população. Nossas ações estão orientadas para o fortalecimento dos grupos, das organizações populares e dos indivíduos: mulheres e homens, do campo e da cidade.

Missão

Promover e defender os direitos à Saúde e à Segurança Alimentar Nutricional Sustentável, com ênfase na justiça socioambiental e na igualdade de gênero.

Propagar a saúde como um estado de equilibrio que integra as dimensões: física, mental, emocional e espiritual do ser humano e que, para ser mantido, se faz necesario conhecer as causas/raízes das doenças, e priorizar medidas preventivas para mudar hábitos e padrões geradores de doença, que venham a desarmonizar este estado de equilíbrio.

Difundir a saúde como produto de um desenvolvimento social, económico e pessoal, así como tambén, reconhecer que é um dos indicadores mais importantes da qualidade de vida.

Socializar a convicção de que as condições e recursos fundamentais para um estado saudável são: Paz – Moradia – Educação – Alimentação – Renda – Ecosistema estable – Recursos sustentáveis – Justiça social, Equidade (Declaração de Alma-Ata, 1978 e Carta de Ottawa, 1986) e, o direito à voz das mulheres e o respeito aos Direitos Humanos (Declaração de Jacarta, 1997).

Visão

Ser agente na transformação social para uma vida mais justa e saudável no campo e na cidade.

O CNMP busca disseminar uma noção de saúde integral/holística para que as pessoas compreendam e percebam que a saúde depende do seu estilo de vida, e que podem ser agentes de sua própia saúde e equilibrio, sem depender exclusivamente de tratamentos médicos.

Outro fator importante é irradiar a compreensão de que vivemos em comunidades, bairros, cidades, e que a nossa saúde depende também do contexto e circunstancias desses espaços, por isso a necesidade de trabalhar para ter cidades e campos saludáveis