Programa de Rádio vai debater Óleo nas Praias

Os problemas que envolvem um dos maiores desastre ambiental do país, o óleo derramando nas praias do litoral nordestino, será debatido neste sábado (9), no programa Mulheres do Sertão. Fique ligado nas ondas do rádio

CNMP promove Virada Cultural em Ouricuri

Na Virada Cultural pelo Fim da Violência Contra a Mulher, realizada pelo CNMP com a apoio de Misereor, os participantes, alunos e alunas da escola Prof. Fernando Telesforo Siqueira, em Ouricuri, assistiram exibição de filme sobre a temática, que também foi assunto de debate  com o escrivão da polícia civil daquele município.
Também aconteceram oficinas de fotografia, teatro, poesia, dança popular, linguagem de libras e fanzine.

Dia da Poesia

Programa de Rádio do Centro Nordestino de Medicina Popular (CNMP) destaca o Dia da Poesia, inclusive com leitura de poemas de várias mulheres negras. Vale a pena Conferir na Rádio Voluntários da Pátria, a partir das 11h. 

Virada Cultural em Ouricuri

Mais uma Virada Cultural pelo Fim da Violência Contra as Mulheres acontecendo nesta quinta (31), em Ouricuri, no Sertão de Pernambuco.
Oficinas artísticas e debates fazem parte da programação, realizada na Escola Professor Telesforo Siqueira.

A PREVENÇÃO É O MELHOR CAMINHO

Este foi o tema da palestra de Dr Celerino Carriconde sobre “Câncer de Mama” na Associação de Ex-alunos/as do Seminário de Educação Cristã – SEC, nesta terça (29). A iniciativa fez parte da Ação de Prevenção e Combate ao Câncer de Mama, do #outubrorosa da instituição.
Os participantes foram recepcionados com café da manhã. Também houve aferição de pressão arterial e testagem glicêmica.
Dr Celerino Carriconde foi convidado por Rita da Paz, uma das lideranças do Grupo de Segurança Alimentar e Nutricional de Paulista,  assessorado pelo CNMP naquele município.

Entrevista sobre SAN no Cantos do Sabiá

O Dia Mundial da Alimentação foi  nesta quarta (16), mas o podcast  CANTOS DO SABIÁ, realizado pelo @centro_sabia , ficou tão bom que tá valendo hoje, amanhã e depois. No programa inaugural, a conversa foi com Conceição Paiva (Solô), socióloga, especialista em Promoção e Vigilância em Saúde, Ambiente e Trabalho, coordenadora de projetos do Centro Nordestino de Medicina Popular – CNMP e ainda futura conselheira do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional – CONSEA.
Na sua fala, ela destaca  a desestruturação do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – SISAN e a nova composição do CONSEA/PE.
O CNMP está deixando o link do podcast disponível no perfil. Abaixo também os links do Spotify e no SoundCloud!

Oficina de Vídeo Participativo no Agreste

A segunda etapa da Oficina de Vídeo Participativo, realizada pela equipe do Centro Nordestino de Medicina Popular (CNMP) com o apoio de Misereor, envolveu o trabalho de edição das filmagens produzidas pelos grupos que integram o programa Caminhos para Alimentação Saudável nos municípios de Chã Grande e Caruaru.
Todo processo de produção, roteiro, prática de filmagens, montagem e edição dos Vídeos Participativos foi realizado com smartphone. Em breve, estaremos apresentando os vídeos dos grupos nas nossas redes sociais. A temática central dos vídeos é o processo de transformação ocorrido na vida das pessoas e das suas comunidades após os ensinamentos repassados pelo CNMP nas áreas de segurança alimentar, nutricional e sustentabilidade ambiental. 

Vídeo participativo de SAN com grupos da Região Metropolitana

O Centro Nordestino de Medicina Popular (CNMP) realizou mais uma Oficina de Vídeo Participativo com os grupos assessorados pelo projeto Caminhos para Alimentação Saudável, desenvolvido pela instituição com o apoio de Misereor.
Desta vez, os grupos contemplados foram da Região Metropolitana: Recife, Jaboatão e Paulista. A oficina proporcionou às lideranças maior conhecimento sobre práticas de filmagem com  smartphone, além de noções básicas sobre construção de roteiro.
Após essa etapa, a equipe do CNMP fará um novo encontro com os grupos, nos seus locais de atuação, para conferir o que eles conseguiram produzir com os ensinamentos da oficina. E repassar conhecimentos sobre edição de Vídeo Participativo. 

O que está por trás do programa Future-se

Neste sábado (5), o programa Mulheres do Sertão, realizado pelo CNMP com o apoio de Misereor, vai discutir o programa Future-se. Segundo especialistas, o programa tem como objetivo privatizar as universidades públicas e Institutos Federais. Então fique ligado que esse assunto é de interesse de todos e todas que defendem o ensino público universitário.

“A CRISE E A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL ANDAM LADO A LADO”

A Articulação do Semiárido Brasileiro em Pernambuco – ASA/PE realizou nesta terça (24), em Triunfo/PE, uma plenária ampliada com a participação de movimentos sociais do Estado. A ideia é olhar para o contexto nacional e compartilhar como os diversos movimentos enxergam esse momento no Brasil, e quais as estratégias de lutas e resistências.
o Centro Nordestino de Medicina Popular (CNMP) participou das discussões juntamente com movimentos de mulheres, de juventudes, de trabalhadores e trabalhadoras rurais, representantes de comunidades indígenas e quilombolas, pastorais sociais e as organizações que constrói a ASA/PE. A plenária iniciou com alegria e esperança que une essa diversidade que luta por direitos, com uma mística conduzida pelos povos indígenas e quilombola trouxe o espírito de unidade e resistência.
Na abertura da plenária o coordenador executivo da ASA/BR pelo Estado de Pernambuco, Alexandre Pires, lembrou que no mês de Novembro a ASA comemorará 20 anos de existência e o quanto significa para os povos do Semiárido. “A ASA se constituiu há 20 anos para assegurar um direito fundamental às pessoas, que é o direito a água e hoje já são mais de 1.300.000 famílias agricultoras que tem água pra o consumo humano, sabemos que ainda tem muitas famílias ainda não tem esse direito garantido, por isso é uma luta permanente” Afirma Alexandre.
Alexandre relatou que o que tem sustentado e fortalecido a ASA é a construção da solidariedade entre as organizações e estreitar as relações com os movimentos que lutam para garantir direitos é uma das estratégias adotadas.
Cada movimento presente partilhou suas experiências e trouxe nas falas as principais preocupações, entre elas a preocupação com a violência e o ódio que se instalou no País, especialmente a violência sofrida pelas mulheres, povos indígenas, quilombolas, pessoas e organizações que luta por direitos. “A gente começa a refletir que nunca se matou tanta mulher, tanto indígena, quilombola, jovens, negros como nos últimos tempos” Diz Elizete Maria do Movimento das Mulheres trabalhadoras rurais – MMTR.