No Brasil, durante 2015, mais de 84% dos nascimentos na rede privada foram por cesáreas; na rede pública, a taxa foi de 40%. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que o número de cesarianas não sobrepasse o 15%. Para reduzir esses números se faz necessário debater sobre a questão da humanização do parto, que se fundamenta em dois princípios: é baseado em evidências científicas e procura outorgar, novamente, o protagonismo do parto à mulher.

Leia mais...

Para dar visibilidade a violência contra às mulheres, o projeto “Mulheres sertanejas na luta” organizou uma Tribuna Cultural no dia 2 de dezembro, no povoado do Jacaré, município de Ouricuri. Durante o evento, aconteceram a exposição “História das mulheres pernambucas”, roda de poesias, panfletagem e filme. Mais de 50 pessoas entre homens e mulheres participaram das atividades, e assistiram o filme “Que horas ela volta?”.

Leia mais...

O dia 25 de novembro é um dia de luta: é o dia internacional de enfrentamento à violência contra as mulheres. Foi dentro desse marco que as mulheres de Lagoa Grande realizaram uma ação cultural pública, no dia 02 de dezembro. O evento aconteceu na praça Hermes Amorim, localizada no centro da cidade e contou com um total de 12 mulheres das formações de Direitos sexuais e Reprodutivos e Doulas do projeto “Mulheres Doulas Articulando Vidas”.

Leia mais...

Mais de cem pessoas participaram da ação cultural pública na praça Matriz de Santa Filomena. Organizada pelo Centro Nordestino de Medicina Popular, aconteceu na sexta-feira 25 de novembro a Tribuna Cultural, realizada pelas mulheres participantes dos projetos “Mulheres Doulas Articulando Vidas” e “Mulheres Sertanejas na luta”. Foi uma noite de lazer e reflexão com exposição da história das mulheres pernambucanas, poesias, canto, apresentação de dança e para terminar, a projeção do filme Vidas cruzadas.

Leia mais...

Boletim De Volta às Raízes

20080110125352

Notícias

 

//
Google Analytics Alternative