O Centro Nordestino de Medicina Popular, organização não governamental fundada em 1988, tem como missão promover a melhoria da qualidade de vida da população, com ênfase no direito humano à saúde. Através do trabalho com plantas medicinais, o CNMP vem disseminando junto aos grupos comunitários e ao público em geral o valor da medicina popular, buscando com isso difundir as concepções de saúde integral e contribuir para que a fitoterapia seja efetivada como política pública.

Em sua trajetória, o CNMP apoiou a constituição de 21 farmácias e hortas comunitárias, e divulgou amplamente a medicina caseira, produzindo, a partir do ano 1986, o boletim “De Volta às Raízes”,publicação que contém estudos sobre mais de 112 plantas medicinais brasileiras. O Centro Nordestino também teve forte influência na aprovação da fitoterapia como política pública do SUS.  Atualmente  faz parte do Comitê Nacional de Fitoterápicos  e Plantas Medicinais para Atenção Primária no SUS.

No Campo da Educação Nutricional, o CNMP se destaca pela formação de agentes multiplicadores das temáticas relativas à Segurança Alimentar e Nutricional, bem como pela assessoria à implantação de empreendimentos solidários com base na produção ou beneficiamento de alimentos.

A implantação de hortas alimentícias e medicinais, também constitui uma importante ação desta área e vem resultando em mudanças na dieta alimentar das famílias e grupos envolvidos com o trabalho, melhorando a segurança alimentar do lar.

No controle social da saúde o CNMP tem atuado na formação de Conselheiros Usuários de Saúde. O Centro assessora a Rede de Usuários do SUS que articula 10 municípios de Pernambuco (PE), 10 da Paraíba (PB) e 12 do Rio Grande do Norte (RN), desenvolvendo uma metodologia de monitoramento das políticas de saúde para subsidiar as ações dos grupos populares de saúde.

As relações de gênero é uma temática que perpassa todos os programas e o CNMP tem investido na educação sobre direitos sexuais e reprodutivos, alem de desenvolver experiências junto a grupos populares, de monitoramento de políticas publicas para as mulheres. Atualmente esta focando a  problemática da femenização da HIV\AIDS.

Assim, o CNMP construiu sua identidade e é reconhecido hoje a partir da atuação na área da saúde.Atuação esta caracterizada pela promoção de sujeitos, sobretudo através do resgate da sua autoestima, da construção de uma identidade coletiva e do engajamento nas lutas sociais pela conquista do Direito Humano à Saúde. Com este trabalho busca-se fortalecer a participação popular na implementação de políticas públicas emancipatórias, que integrem as dimensões econômicas,sociais, culturais, políticas e ambientais, com vistas à melhoria da qualidade de vida de toda a população.

Para realização deste trabalho, o CNMP conta com parceiros internacionais e nacionais como:

Misereor e Pão Para o Mundo (Alemanha), DKA (Suíça), Manos Unidas (Espanha), InterAmerican Foundation (USA) Ministério Desenvolvimento Agrário (MDA).

O CNMP é reconhecido como entidade de Utilidade Pública Municipal e possui registro nos seguintes espaços de Controle Social:

Conselho Nacional da Assistência Social, Conselho Municipal de Assistência Social de Olinda, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Olinda, Conselho Estadual de Saúde e Conselho Estadual de Segurança Alimentar de PE e RN.

Boletim De Volta às Raízes

20080110125352

Notícias

 

//
Google Analytics Alternative