Contribuir para a garantia do Direito Humano à Alimentação Adequada e Saudável, por meio de inciativas que estimulem a consciência crítica sobre a Soberania e a Segurança Alimentar e Nutricional, bem como o estímulo a mudanças de comportamentos e aquisição de novos hábitos alimentares e de consumo, saudáveis e sustentáveis.

Projeto Sistemas Agroalimentares: a descoberta dos caminhos da alimentação

É preciso um olhar sistêmico sobre o sistema agroalimentar brasileiro, compreendendo o desenvolvimento de todas as operações de produção, de armazenamento, transformação e distribuição de alimentos.

Os Sistemas Agroalimentares envolvem concepções e posições contra hegemônicas, que leva em consideração a “produção de alimentos de qualidade a partir de práticas alimentares promotaras de saúde, estratégias sustentáveis de produção, distribuição e consumo de alimentos, com respeito à cultura e à diversidade dos povos”, como definiu o Fórum Mundial sobre Soberania Alimentar em Havana, Cuba, 2001. Esse conceito aponta para a importância de pensarmos os sistemas agroalimentares de forma sistêmica, como uma cadeia em que todos os elos estão interrelacionados.

Considerando a necessidade de difundir junto à sociedade civil e poder público problematizar políticamente essa temática, o Centro Nordestino de Medicina Popular elaborou o projeto Sistemas Agroalimentares: a descoberta dos caminhos da alimentação (2014-2016).

Linhas de ação:

-Promover mudanças conscientes de hábitos alimentares.

-Fortalecer a atuação dos/as envolvidos/as no projeto nos espaços de participação e incidência política como os Conselhos, Fóruns o Redes que atuam na garantia do Direito Humano à Alimentação Adequada e Saudável e perspectiva da Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional.

-Difundir junto à sociedade civil e o poder público a importância e as problemáticas que envolvem os Sistemas Agroalimentares na atualidade.

Objetivo:

Melhorar a qualidade da saúde e nutrição de populações vulneráveis em dois estados do Nordeste brasileiro.

Público participante:

Lideranças comunitárias, Educadores/as populares, Agricultores/as, Assentados/as da Reforma Agrária, membros de Associações, Sindicatos e Organizações de Mulheres, ONG’s, Conselhos Setoriais de Políticas Públicas, Grupos Produtivos, entre outros. E Profissionias das áreas de Assistência Técnica e Extensão Rural, da Educação, Saúde, Assistência Social, Agricultura e de outras áreas afins.

Áreas de atuação:

-Região Metropolitana do Recife e região agreste de Pernambuco.

-Rio Grande do Norte.

O projeto é financiado pela Misereor (Alemanha).

Boletim De Volta às Raízes

20080110125352

Notícias

 

//
Google Analytics Alternative